Av. Ipiranga, 5.311 - Sala 403

Horário de Atendimento:

De segunda a sexta,

das 8h às 12h e das 13h30 às 17h

 Fone: (51) 3384-2889

NÃO ESQUEÇA! Esta área não é um substituto para a consulta médica, é durante as consultas que devem ser retiradas todas as dúvidas.

JAMAIS FAÇA A AUTOMEDICAÇÃO!

Área Restrita

Pneumotórax

- O que é pneumotórax?
Pneumotórax é o acúmulo de ar entre o pulmão e as costelas. Este espaço, que normalmente não é preenchido por nada, chama-se cavidade pleural.

 

- Quais são as causas mais frequentes?
Há duas principais causas de pneumotórax: o trauma, onde a integridade da parede costal é comprometida, como por exemplo em uma facada ou em um ferimento por arma de fogo, ou quando pequenas bolhas pulmonares se rompem, promovendo a saída de ar do pulmão para dentro da cavidade pleural.

 

- O que acontece quando há um pneumotórax?
Em situações de pneumotórax, o paciente não utiliza todo o pulmão para respirar, promovendo sinais e sintomas relacionados com incapacidade respiratória, como tosse, falta de ar, encurtamento da respiração, cansaço, até situações mais graves como cianose (coloração azulada dos lábios e extremidades) e baixa pressão. Estes dois últimos sintomas são extremamente graves, pois há comprometimento da oxigenação.

 

- Há outras doenças que provocam pneumotórax?
Há doenças que podem piorar o quadro, como asma, bronquite e enfisema. Chama-se isto de pneumotórax secundário. Pacientes com tuberculose, câncer, infecção grave e período de pós-operatório podem apresentar pneumotórax. Indivíduos sadios, normalmente altos, magros e adultos jovens, podem apresentar pneumotórax espontâneo, decorrente de pequenas bolhas na parte de cima dos pulmões. Isto chama-se pneumotórax espontâneo primário, pois não é secundário a nenhuma doença, apenas acontece.

 

- Como se faz o diagnóstico?
Primeiro, deve-se pensar na patologia. Segundo, os sintomas usualmente são súbitos. Terceiro, uma radiografia de tórax deve ser realizada para confirmar a suspeita.

 

- Como se trata o pneumotórax?
Se o pneumotórax é pequeno, sem nenhuma doença associada e há poucos sintomas, pode-se observar. Normalmente, um pequeno pneumotórax absorve em alguns dias. Se há sintomas, uma drenagem pleural realizada por um cirurgião especialista deve ser a forma de tratamento. Usualmente, em 2 a 3 dias , há condições de alta hospitalar. O que o paciente deve saber é que , em 20% das vezes, o pneumotórax vai voltar. A recidiva pode acontecer em alguns dias ou anos. Neste caso, é consenso indicar uma cirurgia para que não exista uma terceira vez. Esta cirurgia pode ser realizada com auxílio de vídeo e grampeadores, o que diminui a dor e o período de internação.

 

Além disto, medicações específicas são utilizadas para tratar doenças associadas e sintomas como dor e falta de ar. Normalmente, o pneumotórax bem conduzido não apresenta maiores riscos ao paciente.

 

Airton Schneider
Professor adjunto e Chefe do Serviço de Cirurgia Torácica da ULBRA e Professor adjunto de Anatomia Humana da UFRGS.